terça-feira, agosto 23, 2011

Destino ou mera coincidência?


"...Pode ser que tudo isso se transforme ou apenas se mantenha... Pode ser que isso passe, pode ser que não... Pode não ser nada, pode ser tudo... 

Pode ser destino ou simplesmente mera coincidência... 

Mas o que importa é que haja o que houver, por algum motivo aconteceu..."


Será que existe destino?
Ou apenas meras coincidências?
Sinceramente não sei explicar... Mas sendo destino ou coincidência, o fato é que na vida acontecem coisas que são inexplicáveis...
A chance de duas pessoas que moram na mesma cidade se conhecer é grande... E quando uma dessas pessoas muda de estado e fica há 400 quilômetros de distância da outra a chance diminui, certo? Errado!
Com as novas tecnologias da informação através das redes sociais essa lógica mudou...
Certo dia vagando em pleno mundo virtual através do Facebook resolvi aceitar algumas sugestões de amigos... Até ai nada demais... Mas quem diria que apenas um clic no mundo virtual traria para a minha realidade uma pessoa tão especial...
Curiosidade, coincidência e compatibilidade foram fatores decisivos para o rumo dessa história...
Curiosidade que levou ao diálogo e a vontade de descobrir a outra pessoa...
Coincidência na sucessão de fatos intrigantes, mas inexplicavelmente divertidos...
Compatibilidade nas idéias e na forma de levar a vida..
Tais fatores foram o fomento da vontade de crescia dia a dia de se conhecer mais...
Pode ser que isso passe, pode ser que não...
Pode ser que tudo isso se transforme ou apenas se mantenha...
Pode não ser nada, pode ser tudo...
Pode ser destino ou simplesmente mera coincidência...
Mas o que importa é que haja o que houver, por algum motivo aconteceu...

Bibiana Zaparolli

sexta-feira, agosto 12, 2011

O que tem de ser tem muita força


...Mas de repente eis que algo acontece e uma sucessão de fatos começam a me mostrar que eu estava no caminho certo e que realmente “O que tiver que ser será” ...

Fugindo completamente da rotina, do esperado, do até então vivido me encontro em um redemoinho de emoções nunca antes vividas, nunca antes imagináveis...

Nada mudou, mas também nada está igual... Tenho os mesmos olhos para ver, os mesmos ouvidos para ouvir, o mesmo coração para sentir... Porém meus sentidos estão mais aguçados, mais leves, mais doces...

Não que antes fosse de um todo ruim, sempre procurei a simplicidade das coisas, a beleza de cada momento, pessoa ou coisa... Vivendo de acordo com princípios e valores que me traziam bem estar e felicidade... Mudança de fato não é a palavra certa, mas tudo se transformou...

Sempre esperamos por algo na nossa vida, mesmo sem saber bem ao certo que é... Nesse meio tempo muitas coisas acontecem... Mesmo que não se espere uma hora algo acontece e é ai que tudo se transforma...

Por muitas vezes duvidei da tal frase que diz: “O que tiver que ser será” e quando assim pensei acabei me responsabilizando pelo fracasso ou sucesso de tais situações... Só agora vejo que a minha dúvida era resultado do início do endurecimento dos meus sentidos, uma vez que poucas são as pessoas que se preocupam com os sentimentos alheios e como um rolo compressor destroem os sonhos daqueles que ainda acreditam na pureza dos sentimentos...

Mas de repente eis que algo acontece e uma sucessão de fatos começam a me mostrar que eu estava no caminho certo e que realmente “O que tiver que ser será” e mais, parafraseando Guimarães Rosa “O que tem de ser tem muita força”... E agora vivo a intensidade das sensações que tenho sentindo, e incrivelmente elas têm me feito bem... Por isso optei mais uma vez em me render a essa tal força que me levará ao que tiver que ser e sei que não estou mais sozinha nesse caminho...

Bibiana Zaparolli

terça-feira, agosto 02, 2011

Amar é...


"Amar é sentir aquele frio na barriga só de lembrar do beijo... É sentir-se livre, entusiasmado e amado ao lado da pessoa... Sentir-se protegido no abraço... amado no olhar e satisfeito na companhia..."

O texto de hoje é um texto que escrevi em 2008, inclusive já foi postado no Blog, mas achei oportuno postá-lo novamente... Então digamos que o post de hoje é uma espécie de "vale a pena LER de novo"

 
Amar é sentir o coração palpitar só de pensar naquela pessoa...
É não ver a hora de revê-la...
É contentar-se só de saber que ela existe...
É flutuar, vibrar com qualquer atitude que demonstre carinho...


Amar é se encantar com os risos, com a boa conversa com os bons momentos...
É sonhar... desejar... esperar...

Amar é sentir aquele frio na barriga só de lembrar do beijo...
É sentir-se livre, entusiasmado e amado ao lado da pessoa...
Sentir-se protegido no abraço... amado no olhar e satisfeito na companhia...

Amar é divino... angelical... é como se anjos tocassem harpas e delas saíssem a mais suave e doce melodia...

Amar é atitude... mas também é esperar dos céus...
É perseverança... é crescimento...

Amar é exercitar a humanidade... a humildade... é compartilhar...
Amar é demonstrar carinho... amor... respeito e confiança...
 Amar é viver...

Bibiana Zaparolli

terça-feira, julho 19, 2011

Aos amigos


“Amigo é coisa para se guardar no lado esquerdo do peito, mesmo que o tempo e a distância digam “não”... Mesmo esquecendo a canção. O que importa é ouvir a voz que vem do coração...”

Aos poucos e bons amigos...

Tenho amigos que estão perto, que estão longe... Os que vi a pouco tempo e outros que há muito não vejo...
Tenho amigos e amigas, pretos e brancos, gordos e magros, loucos e sensatos...
Tenho amigos bem humorados e estourados, equilibrados e desastrados...

Tenho amigos de infância e adolescência, de hoje e de sempre...

Tenho amigos para a alegria e tristeza, pra fazer festa, pra conversar, ou simplesmente pra chorar...

Com eles passei os melhores momentos da minha vida... São eles que trazem cor ao dia a dia...

Parafraseando Milton Nascimento: Amigo é coisa para se guardar no lado esquerdo do peito, mesmo que o tempo e a distância digam “não”... Mesmo esquecendo a canção. O que importa é ouvir a voz que vem do coração...

Cada momento que com vocês passei foi valoroso, e ao olhar para trás eu jamais pensarei: “eu era feliz e não sabia”, afinal eu fui muito feliz e sabia e assim continuo porque os tenho na minha vida...

Feliz dia do amigo...


Bibiana Zaparolli

quinta-feira, julho 14, 2011

A caixinha de surpresas...


"A vida é feita desses pequenos momentos, das pequenas surpresas diárias, só que para percebê-los e dar-lhes o devido valor é preciso estar atento..."

Sempre gostei da idéia de imaginar que a vida é uma caixinha de surpresas, principalmente naqueles momentos em que você não vê uma saída e se sente o mais frágil e impotente ser humano... Nesse caso podemos imaginar a tal caixinha como uma força sobrenatural de natureza divina... Pra isso basta crer...

De fato a tal caixinha existe e quando menos se espera ela joga uma nova surpresa em sua vida... Se para o bem ou para o mal, só o tempo dirá...

Mas e ai, como agir, como proceder?! Simples! Aproveite!

O segredo é viver intensamente o contexto que lhe cabe, sem expectativas e dando o máximo de você, caso no decorrer do tempo perceba que a tal surpresa não lhe faz mais feliz, espere o próximo capitulo, mas entenda que por algum motivo as coisas acontecem na nossa vida, tire um aprendizado de tudo!

A vida é feita desses pequenos momentos, das pequenas surpresas diárias, só que para percebê-los e dar-lhes o devido valor é preciso estar atento...


Bibiana Zaparolli

quinta-feira, junho 23, 2011

O inverno, a carência e o erro


“...Sabe-se que qualquer corte dói muito mais no frio, por isso, evite partir seu coração no inverno, ainda não inventaram manteiga de cacau para coração partido...”


O inverno chegou e com ele as carências ficam mais evidentes. Não falo somente da carência material que é alvo das campanhas do agasalho, típicas nessa época. Falo também da carência afetiva.

No verão é muito mais fácil estar sozinho, o clima quente favorece a independência afetiva, os programas de solteiros. Com o frio as pessoas ficam carentes. Carentes de uma companhia para assistir filme enrolado nas cobertas, carentes de tomar vinho acompanhado, carentes de um jantar a luz de velas, carentes de um bom fondue, carentes de dormir de conchinha, carentes enfim de calor humano.

Ai é que está o perigo, hora de ligar o alerta! A carência cega, emburrece e atrapalha a intuição. O que normalmente poderia ser percebido, não o é. Nessa hora podem se cometer os maiores erros... Perde-se o senso e a confusão entra. Confunde-se amor com paixão, carinho com tesão e assim por diante...

A compreensão é deixada de lado e fica difícil entender que não se doa amor como agasalhos, que não se encontra amor em bazar por preços módicos, nem em liquidação de inverno e muito menos em brechós... Portanto ter cautela é uma boa pedida em qualquer estação do ano, principalmente no inverno.

Sabe-se que qualquer corte dói muito mais no frio, por isso, evite partir seu coração no inverno, ainda não inventaram manteiga de cacau para coração partido.

Evite a carência se amando, aproveitando mais a sua família, amigos... Enfim vivendo. Nunca coloque a responsabilidade da sua felicidade e nem a solução de seus problemas no outro... As pessoas não se completam e sim se somam.

Bibiana Zaparolli

terça-feira, junho 21, 2011

Modo de usar-se

"...Se nos usam, algum consentimento a gente deu, mesmo sem ter assinado procuração. E se estamos assim tão desfrutáveis para o uso alheio, seguramente é porque estamos nos usando pouco..."


Hoje o post será um pouco diferente. Ao invés de postar um texto meu, utilizarei um texto da Martha Medeiros que diz tudo o que eu quero expressar hoje... Concordo com cada palavra e assino embaixo... Vamos nos usar mais, antes que algum aproveitador faça isso por você...


"Coitada, foi usada por aquele cafajeste". Ouvi essa frase na beira da praia, num papo que rolava no guarda-sol ao lado. Pelo visto a coitada em questão financiou algum malandro, ou serviu de degrau para um alpinista social, sei lá, só sei que ela havia sido usada no pior sentido, deu pra perceber pelo tom do comentário. Mas não fiquei com pena da coitada, seja ela quem for.

Não costumo ir atrás desta história de "foi usada". No que se refere a adultos, todo mundo sabe mais ou menos onde está se metendo, ninguém é totalmente inocente. Se nos usam, algum consentimento a gente deu, mesmo sem ter assinado procuração. E se estamos assim tão desfrutáveis para o uso alheio, seguramente é porque estamos nos usando pouco.

Se for este o caso, seguem sugestões para usar a si mesmo: comer, beber, dormir e transar, nossas quatro necessidades básicas, sempre com segurança, mas também sem esquecer que estamos aqui para nos divertir. Usar-se nada mais é do que reconhecer a si próprio como uma fonte de prazer.

Dançar sem medo de pagar mico, dizer o que pensa mesmo que isso contrarie as verdades estabelecidas, rir sem inibição – dane-se se aparecer a gengiva. Mas cuide da sua gengiva, cuide dos dentes, não se negligencie. Use seu médico, seu dentista, sua saúde.

Use-se para progredir na vida. Alguma coisa você já deve ter aprendido até aqui. Encoste-se na sua própria experiência e intuição, honre sua história de vida, seu currículo, e se ele não for tão atraente, incremente-o. Use sua voz: marque entrevistas.

Use sua simpatia: convença os outros. Use seus neurônios: pra todo o resto.

E este coração acomodado aí no peito? Use-o, ora bolas. Não fique protegendo-se de frustrações só porque seu grande amor da adolescência não deu certo. Ou porque seu casamento até-que-a-morte-os-separe durou "apenas" 13 anos. Não enviuve de si mesmo, ninguém morreu.

Use-se para conseguir uma passagem para a Patagônia, use-se para fazer amigos, use-se para evoluir. Use seus olhos para ler, chorar, reter cenas vistas e vividas – a memória e a emoção vêm muito do olho. Use os ouvidos para escutar boa música, estímulos e o silêncio mais completo. Use as pernas para pedalar, escalar, levantar da cama, ir aonde quiser. Seus dedos para pedir carona, escrever poemas, apontar distâncias. Sua boca pra sorrir, sua barriga para gerar filhos, seus seios para amamentar, seus braços para trabalhar, sua alma para preencher-se, seu cérebro para não morrer em vida.

Use-se. Se você não fizer, algum engraçadinho o fará. E você virará assunto de beira de praia.


Martha Medeiros

quinta-feira, junho 16, 2011

Que seja doce


"...a cada dia que passa ele me cativa mais... além disso ele entende que não sou a mais bela de todas, mas que tenho algo que aos seu olhos é belo, e vê que eu, do jeito que sou, preencho todas as suas carências, e vê que eu preciso dele e isso o faz sentir importante..."

Vou contar o que vejo nele: vejo uma espontaneidade rara e isso é mais importante do que os outros pensam ou falam dele, vejo que ele tem uma seriedade serena que as vezes é quebrada por um breve sorriso... vejo algo diferente que estranhamente ninguém repara, vejo que ele faz tudo para que eu fique contente, vejo como ele se preocupa, e como ele fica bravo quando demonstro não acreditar no que ele diz... vejo que ele erra, mas quando acerta, acerta em cheio, vejo que ele não dá a mínima para comportamentos padrões e valoriza o que realmente é importante... eu o vejo no que ele tem de invisível para todos os outros...

E é por isso que a cada dia que passa ele me cativa mais... além disso ele entende que não sou a mais bela de todas, mas que tenho algo que aos seu olhos é belo, e vê que eu, do jeito que sou, preencho todas as suas carências, e vê que eu preciso dele e isso o faz sentir importante...

Ele vê que as vezes sou brava, chata, mas também ve que sempre o faço rir, e ele vê que sou tão insegura quanto ele e sou humana como todos, vê que sou livre e poderia estar com qualquer outra pessoa, mas é ao seu lado que estou e vê que me preocupo com ele e não me preocupo se ele não diz que me ama de 10 em 10 minutos, e por isso ele me ama mesmo que ninguém entenda...

E que seja doce

Bibiana Zaparolli

segunda-feira, maio 23, 2011

Intriga, uma filosofia de vida?


"...a vida se encarrega de ensinar que quem semeia discórdia colhe tempestade, e que o maior prejudicado sempre será ele mesmo. "

Se você ao ler este texto, lembrar de uma ou algumas pessoas que fazem parte do seu círculo social, não é mera coincidência, afinal os caçadores de intriga estão em todos os lugares, até mesmo ou principalmente nas melhores famílias.
Caçadores de intrigas são pessoas com distúrbios emocionais ou de caráter. Elas precisam de intrigas para sobreviver e se sentirem de certa forma, importantes. Geralmente os caçadores são orgulhosos, prepotentes, invejosos, inseguros, e por fim, infelizes. Eles só se sentem bem quando semeiam a discórdia. O pior de tudo é que fazem isso com tamanha dissimulação, saindo de toda confusão como vítimas, quando na verdade são os maiores vilões.
Para quem acha que ter raiva dessas pessoas resolve, está enganado. Os caçadores de intriga merecem apenas a insignificância. Derrepente eles cansam e vão fazer algo produtivo. Se isso não acontecer, com certeza a vida se encarrega de ensinar que quem semeia discórdia colhe tempestade, e que o maior prejudicado sempre será ele mesmo.
Será que é tão difícil viver com paz, tranquilidade e harmonia?
Será que é difícil entender que ninguém é melhor ou pior que o outro?
A vida é muito curta para se prender a picuinhas.
Mas pra quem insiste em procurar intrigas, infelizmente uma coisa é certa, sua vida nunca vai sair disso.

Bibiana Zaparolli

terça-feira, maio 17, 2011

O príncipe que virou sapo

"Aos meus olhos o belo moço, perdeu o encanto, perdeu a beleza... As atitudes dele fizeram-o uma pessoa feia, desagradável... Pois é, o príncipe virou sapo..."

Certa vez conheci um rapaz. Aparentemente um verdadeiro príncipe. Boa aparência, bem vestido, cheiroso (afinal homem cheiroso é o que há) além disso ele era culto. Falava e agia como o homem dos sonhos de qualquer mulher.
Pois é, essa foi a primeira impressão, mas não foi a que ficou...
Não levou muito tempo, eu percebi que aquele rapaz não passava de um menino imaturo e  mimado que valorizava muito mais o dinheiro e poder do que qualquer  principio e valor.
Dialogar com ele era algo impossível, pois ele era adepto de monólogos, sempre com o mesmo tema: ELE... Ele jamais esquecia de enfatizar o quanto ele era bom, loiro, alto, atlético, conquistador, inteligente, viajado, enfim, o quão ele era perfeito (lógico na visão dele, ah e da mãe dele também hehehe).
Logo percebi que aquele "maravilhoso" moço não tinha amigos. Mas só podia né, o cara era  muito CHATOO!
O rapaz vivia em um mundinho, onde ele era o centro da atenção, mundinho no qual ter é mais importante do que ser, onde se dá valor ás coisas pelo que valem e não pelo que significam...
Contudo aos meus olhos o belo moço, perdeu o encanto, perdeu a beleza... As atitudes dele fizeram-o uma pessoa feia, desagradável... pobre criatura, não tenho apresso, não tenho raiva, tenho é dó... pessoas assim precisam é de um choque de realidade!
Pois é, o príncipe virou sapo...
Nunca mais falei com ele, não tenho nenhum contato com ele, é como se ele não existisse...
É como li em algum lugar certa vez: A melhor vingança é o esquecimento. Afinal, quem é você mesmo?

Bibiana Zaparolli

segunda-feira, maio 09, 2011

Reclamar de nada adianta!

"Não há tempestade que dure para sempre, uma hora o sol tem que voltar a brilhar"

Nossa vida é feita de fases, períodos e nem sempre eles são replestos de alegrias. 
Muitas vezes passamos por dificuldades, e o qua fazemos? reclamamos... Certo? Não, errado... Essa seria a hora de parar, analisar e tirar um aprendizado...
Reclamar não ajuda, não faz o que está ruim melhorar, pelo contrário, só piora.... 
As dificuldades são momentos de aprendizado e que constroem uma base sólida para que mais tarde possamos dar valor ao que é conquistado, a boa fase...
Não há tempestade que dure para sempre, uma hora o sol tem que voltar a brilhar...

Bibiana Zaparolli



quarta-feira, maio 04, 2011

Ele não sabe, mas ela mudou


"Ele acha que dizer ”eu te amo”, apaga todas as marcas ruins do passado, e que sendo assim ela voltará correndo para seus braços. Mas ele não se tocou que o tempo passou e que outras pessoas passaram em sua vida, algumas agiram da mesma forma que ele, outras, porém a cativaram..."

Ele acha que tem o dom do convencimento, que apenas lábia e um pouco de senso de humor bastam para convencer alguém. Ele também é adepto do “água mole em pedra dura, tanto bate até que fura”, em outras palavras vence no cansaço. Ele até convence, depois de certo esforço, e algumas técnicas de psicologia barata. O problema é que ele esqueceu que não basta convencer, o importante é manter, cativar dia a dia.  
Ele acha que conquistar é adquirir posse e autoridade sobre o que é conquistado, mas ai é que ele se engana. Quando falamos de pessoas, isso não é válido. Pessoas precisam de respeito e consideração.
Ele acha que dizer ”eu te amo”, apaga todas as marcas ruins do passado, e que sendo assim ela voltará correndo para seus braços. Mas ele não se tocou que o tempo passou e que outras pessoas passaram em sua vida, algumas agiram da mesma forma que ele, outras, porém a cativaram...
Ela aprendeu que “nem tudo que brilha é ouro” e que palavras de nada adiantam se não vem acompanhadas de ações. Enquanto ele achava que ela sofria, ela tirava a lição dos fatos ocorridos.
Enquanto ele acha que ela está sozinha porque ainda o ama, ela está vivendo um dia de cada vez, vivendo o momento, sempre na esperança de encontrar alguém que realmente valha à pena. Ela com o passar do tempo ficou mais exigente, e sabe que um homem de verdade não é tão fácil assim de se encontrar.
Sendo tão criteriosa ela pode até correr o risco de ficar sozinha, mas sendo assim ela sabe que vai ser valorizada, pois com o tempo ela também descobriu o valor que tem e sabe que não se achou no lixo, por isso não está disposta a desperdiçar a sua vida num relacionamento onde ela não pode ser ela mesma, onde os seus planos e sonhos são deixados de lado em detrimento do bel prazer e machismo dele.
Hoje ela tem a certeza de que a vida é feita de pequenos momentos e das lições de todos os dias...
Hoje ela sabe que a maior e verdadeira felicidade é a consciência que se tem de si e que uma mulher realmente feliz é aquela realizada, que se acha linda, que tem amigos, que valoriza a família, que trabalha e a partir do trabalho obtém reconhecimento... Ela sabe o valor de estar viva, e aproveita cada minuto como se fosse o último. Ela sabe também oferecer a cada pessoa o que cada uma merece de fato, além disso, sabe o que esperar delas e isso vale também para os relacionamentos amorosos... Ela sabe a diferença entre paixão e amor, de afeto e prazer e o melhor de tudo é que ela está disposta a viver tudo isso...
Contudo, hoje ela sabe exatamente o que ela quer e da mesma forma o que ela não quer, e com certeza ele é passado e não está nos seus planos do presente e futuro!
Mas mesmo assim muito obrigada por tudo!

Bibiana Zaparolli

quarta-feira, abril 20, 2011

Troca de valores



 Mulheres prestem  atenção, depois não adianta reclamar que os homens não prestam


Hoje gostaria de compartilhar com vocês uma indignação que garanto que não é só minha, mas de muita gente por ai.
Vivemos a sociedade da exposição, a exposição do corpo, mas isso não no lado positivo da coisa. As baladas provam isso por A mais B. Roupas cada vez mais curtas, as mulheres estão preferindo mostrar seus atributos corporais a seus valores. Quanto mais atenção chamar melhor!
Não sou careta muito menos falsa moralista, mas existem formas e formas de atrair a atenção,  eu ainda aposto na sutileza. Mais vale uma cabeça cheia de idéias, valores sólidos do que bundas, peitos e afins.
Mulheres prestem atenção, depois não adianta reclamar que os homens não prestam.

terça-feira, abril 19, 2011

Dieta da alma


Bonito mesmo é viver em paz e harmonia, corpo e mente em sintonia. Viver dessa forma é transformador, não há tratamento de beleza melhor em todo o mundo...


Levar uma vida leve não é necessariamente perder alguns quilinhos. Trata-se muito mais de se desfazer dos maus sentimentos, do rancor, dos preconceitos, dos medos, do orgulho...
Manter a alma leve não é uma tarefa muito fácil, mas é questão de exercício, uma prática diária e constante... Alimentar a alma de sentimentos bons faz bem pra saúde, isto é, corpo e mente os dois em perfeito equilíbrio trazem ótimos resultados a curto e longo prazo...
O sobrepeso da alma impede a execução de tarefas simples, como valorizar os pequenos detalhes do dia-a-dia, aqueles que podem transformar uma vida toda, os pequenos milagres que acontecem a todo o momento...
A leveza da alma se reflete também no físico, manter-se leve trás brilho no olhar, encanto no sorriso e beleza no semblante, transformando tudo o que está em volta... A beleza está muito mais ligada ao estado de espírito do que apenas a uma aparência superficial.
Bonito mesmo é viver em paz e harmonia, corpo e mente em sintonia. Viver dessa forma é transformador, não há tratamento de beleza melhor em todo o mundo...
Vamos lá!
Eu já comecei a minha dieta hoje!

Bibiana Zaparolli

terça-feira, abril 05, 2011

Leve...




Trilhando meu caminho, alma leve, vivendo a felicidade de cada momento...