segunda-feira, maio 23, 2011

Intriga, uma filosofia de vida?


"...a vida se encarrega de ensinar que quem semeia discórdia colhe tempestade, e que o maior prejudicado sempre será ele mesmo. "

Se você ao ler este texto, lembrar de uma ou algumas pessoas que fazem parte do seu círculo social, não é mera coincidência, afinal os caçadores de intriga estão em todos os lugares, até mesmo ou principalmente nas melhores famílias.
Caçadores de intrigas são pessoas com distúrbios emocionais ou de caráter. Elas precisam de intrigas para sobreviver e se sentirem de certa forma, importantes. Geralmente os caçadores são orgulhosos, prepotentes, invejosos, inseguros, e por fim, infelizes. Eles só se sentem bem quando semeiam a discórdia. O pior de tudo é que fazem isso com tamanha dissimulação, saindo de toda confusão como vítimas, quando na verdade são os maiores vilões.
Para quem acha que ter raiva dessas pessoas resolve, está enganado. Os caçadores de intriga merecem apenas a insignificância. Derrepente eles cansam e vão fazer algo produtivo. Se isso não acontecer, com certeza a vida se encarrega de ensinar que quem semeia discórdia colhe tempestade, e que o maior prejudicado sempre será ele mesmo.
Será que é tão difícil viver com paz, tranquilidade e harmonia?
Será que é difícil entender que ninguém é melhor ou pior que o outro?
A vida é muito curta para se prender a picuinhas.
Mas pra quem insiste em procurar intrigas, infelizmente uma coisa é certa, sua vida nunca vai sair disso.

Bibiana Zaparolli

terça-feira, maio 17, 2011

O príncipe que virou sapo

"Aos meus olhos o belo moço, perdeu o encanto, perdeu a beleza... As atitudes dele fizeram-o uma pessoa feia, desagradável... Pois é, o príncipe virou sapo..."

Certa vez conheci um rapaz. Aparentemente um verdadeiro príncipe. Boa aparência, bem vestido, cheiroso (afinal homem cheiroso é o que há) além disso ele era culto. Falava e agia como o homem dos sonhos de qualquer mulher.
Pois é, essa foi a primeira impressão, mas não foi a que ficou...
Não levou muito tempo, eu percebi que aquele rapaz não passava de um menino imaturo e  mimado que valorizava muito mais o dinheiro e poder do que qualquer  principio e valor.
Dialogar com ele era algo impossível, pois ele era adepto de monólogos, sempre com o mesmo tema: ELE... Ele jamais esquecia de enfatizar o quanto ele era bom, loiro, alto, atlético, conquistador, inteligente, viajado, enfim, o quão ele era perfeito (lógico na visão dele, ah e da mãe dele também hehehe).
Logo percebi que aquele "maravilhoso" moço não tinha amigos. Mas só podia né, o cara era  muito CHATOO!
O rapaz vivia em um mundinho, onde ele era o centro da atenção, mundinho no qual ter é mais importante do que ser, onde se dá valor ás coisas pelo que valem e não pelo que significam...
Contudo aos meus olhos o belo moço, perdeu o encanto, perdeu a beleza... As atitudes dele fizeram-o uma pessoa feia, desagradável... pobre criatura, não tenho apresso, não tenho raiva, tenho é dó... pessoas assim precisam é de um choque de realidade!
Pois é, o príncipe virou sapo...
Nunca mais falei com ele, não tenho nenhum contato com ele, é como se ele não existisse...
É como li em algum lugar certa vez: A melhor vingança é o esquecimento. Afinal, quem é você mesmo?

Bibiana Zaparolli

segunda-feira, maio 09, 2011

Reclamar de nada adianta!

"Não há tempestade que dure para sempre, uma hora o sol tem que voltar a brilhar"

Nossa vida é feita de fases, períodos e nem sempre eles são replestos de alegrias. 
Muitas vezes passamos por dificuldades, e o qua fazemos? reclamamos... Certo? Não, errado... Essa seria a hora de parar, analisar e tirar um aprendizado...
Reclamar não ajuda, não faz o que está ruim melhorar, pelo contrário, só piora.... 
As dificuldades são momentos de aprendizado e que constroem uma base sólida para que mais tarde possamos dar valor ao que é conquistado, a boa fase...
Não há tempestade que dure para sempre, uma hora o sol tem que voltar a brilhar...

Bibiana Zaparolli



quarta-feira, maio 04, 2011

Ele não sabe, mas ela mudou


"Ele acha que dizer ”eu te amo”, apaga todas as marcas ruins do passado, e que sendo assim ela voltará correndo para seus braços. Mas ele não se tocou que o tempo passou e que outras pessoas passaram em sua vida, algumas agiram da mesma forma que ele, outras, porém a cativaram..."

Ele acha que tem o dom do convencimento, que apenas lábia e um pouco de senso de humor bastam para convencer alguém. Ele também é adepto do “água mole em pedra dura, tanto bate até que fura”, em outras palavras vence no cansaço. Ele até convence, depois de certo esforço, e algumas técnicas de psicologia barata. O problema é que ele esqueceu que não basta convencer, o importante é manter, cativar dia a dia.  
Ele acha que conquistar é adquirir posse e autoridade sobre o que é conquistado, mas ai é que ele se engana. Quando falamos de pessoas, isso não é válido. Pessoas precisam de respeito e consideração.
Ele acha que dizer ”eu te amo”, apaga todas as marcas ruins do passado, e que sendo assim ela voltará correndo para seus braços. Mas ele não se tocou que o tempo passou e que outras pessoas passaram em sua vida, algumas agiram da mesma forma que ele, outras, porém a cativaram...
Ela aprendeu que “nem tudo que brilha é ouro” e que palavras de nada adiantam se não vem acompanhadas de ações. Enquanto ele achava que ela sofria, ela tirava a lição dos fatos ocorridos.
Enquanto ele acha que ela está sozinha porque ainda o ama, ela está vivendo um dia de cada vez, vivendo o momento, sempre na esperança de encontrar alguém que realmente valha à pena. Ela com o passar do tempo ficou mais exigente, e sabe que um homem de verdade não é tão fácil assim de se encontrar.
Sendo tão criteriosa ela pode até correr o risco de ficar sozinha, mas sendo assim ela sabe que vai ser valorizada, pois com o tempo ela também descobriu o valor que tem e sabe que não se achou no lixo, por isso não está disposta a desperdiçar a sua vida num relacionamento onde ela não pode ser ela mesma, onde os seus planos e sonhos são deixados de lado em detrimento do bel prazer e machismo dele.
Hoje ela tem a certeza de que a vida é feita de pequenos momentos e das lições de todos os dias...
Hoje ela sabe que a maior e verdadeira felicidade é a consciência que se tem de si e que uma mulher realmente feliz é aquela realizada, que se acha linda, que tem amigos, que valoriza a família, que trabalha e a partir do trabalho obtém reconhecimento... Ela sabe o valor de estar viva, e aproveita cada minuto como se fosse o último. Ela sabe também oferecer a cada pessoa o que cada uma merece de fato, além disso, sabe o que esperar delas e isso vale também para os relacionamentos amorosos... Ela sabe a diferença entre paixão e amor, de afeto e prazer e o melhor de tudo é que ela está disposta a viver tudo isso...
Contudo, hoje ela sabe exatamente o que ela quer e da mesma forma o que ela não quer, e com certeza ele é passado e não está nos seus planos do presente e futuro!
Mas mesmo assim muito obrigada por tudo!

Bibiana Zaparolli